Mensagens e Reflexões

A CARIDADE NOS NEGÓCIOS

Por que existem crises econômicas? Os economistas que digam. Com certeza são diversos fatores que envolvem a economia. Hoje as relações comerciais são globais e um prejuízo em um país pode abalar a economia de muitos.

Mas o que eu quero falar não é de economia mundial, porque não sou dessa área e não tenho competência para explica-la. O que quero dizer é outra coisa. Creio que as crises econômicas existem porque falta amor. Não só no comércio, nas políticas ou nas famílias. A falta de amor deve ser o fator perturbador das economias e de todas as relações humanas. Penso que se houvesse mais amor no comércio haveria menos crises econômicas. O nosso ideal deve ser amar e por que não no comércio? O amor de pagão visa lucro e lucro cada vez maior. As exigências comerciais estipulam metas cada vez maiores. As vendas precisam superar as próprias vendas anteriores e os vendedores precisam sugar o máximo que puder, além de competir e, se possível, até trapacear os próprios companheiros. Aliás, “o mundo é dos espertos”. Essa é a mentalidade do mundo pagão carente do amor cristão.

Jesus nos ensina que o amor nos leva a servir, a ver uma pessoa e não um bolso cheio de dinheiro, um irmão com necessidades e não um bobo a ser enganado. A ganância pelo dinheiro cega a consciência e fere a caridade. Falo isso porque trabalhei oito anos no comércio e amava servir o povo. O lucro veio como consequência e não como meta. Não estou aqui dizendo que sou santo e que não cometi pecados, pois, é muito difícil lidar com dinheiro e não cair em tentação. Lembro-me uma vez que comecei a colocar uma porcentagem alta e aquilo me pesou na consciência, tive que confessar-me e abaixar o lucro. Outra vez deixei de atender uma pessoa que queria dois quilos de prego e eu estava fechando a loja. O objetivo do comércio é servir o irmão e não ganhar dinheiro em primeiro lugar, pois o amor não pode estar abaixo do lucro.

Querido leitor e sobretudo você que é comerciante, não deixa a cobiça e a ganância pelo dinheiro cegar sua consciência. Não seja escravo do lucro e ávido por riquezas. Seja servidor e preocupe em atender bem aquilo que o outro necessita, pois ele é seu irmão. Você pode e deve amar no comércio. É lindo como Deus nos dá a graça de fazer o bem trabalhando. Hoje sou padre mas sempre gostei do comércio.

Que Santo Expedito das causas urgentes, lhe ajude a viver o amor no seu dia-a-dia e a converter no comércio.

Que Deus abençoe seus negócios e que nosso povo brasileiro vença a crise econômica com o amor de Jesus!

                                                                                                                                             Padre Dalmácio

                                                                                                                                                           Fundador da Comunidade Hodie

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *